Isolamento por medo de nova variante cria caos no Reino Unido.

Isolamento para o medo de novas variedades de transtorno de ansiedade

O isolamento por medo de novas variações cria o caos no Reino Unido. Parece que toda vez que uma publicação em inglês é publicada, ela deve ser acompanhada de um comentário sobre seu significado “real” ou “vida”. O isolamento não é o mesmo que o isolamento; quando se teme, o isolamento é um estado de espírito, muitas vezes desencadeado pelo trauma. Neste artigo vamos explorar a causa raiz do “isolamento”, como ele pode criar uma falsa sensação de segurança e como combater isso.

O isolamento pode ser causado pelo medo. A própria natureza da linguagem exige que façamos perguntas, que devemos diferenciar entre realidade e fantasia e que devemos estar cientes do nosso ambiente. O medo do desconhecido faz parte da nossa composição genética. No entanto, o medo real vem do fato de que pode não haver mais ninguém para explicar as novas realidades que estamos descobrindo. Os medos criam um vácuo no qual devemos primeiro encontrar nossa segurança interior.

O isolamento por medo de novas variações é, portanto, o resultado paradoxal da nossa necessidade de diferenciar e desafiar. Novas variações não aparecem apenas. Eles têm que crescer fora da nossa compreensão compartilhada do mundo em que vivemos. A única maneira de evitar o isolamento é garantir que cada um de nós tenha uma rica compreensão da natureza do outro.

A segunda causa comum de “isolamento” é o medo do desconhecido. Isso está relacionado com o primeiro, mas talvez seja mais cruel, já que o medo de uma nova variação é tipicamente expresso contra uma nova linguagem ou um novo modo de comunicação. Essa forma de medo também frequentemente se manifesta durante períodos de grande mudança: grandes inovações, como a criação de uma nova moeda ou um novo sistema político. Tais períodos exigem que as pessoas questionem tudo: a coisas como são, a ordem social existente, a própria base da sociedade. E como seres sociais, é extremamente difícil confiar nos outros quando sentimos que não há um ponto em comum.

Finalmente, o isolamento por medo de novas variantes está ligado à terceira causa. Ou seja, mudança. A mudança cria o caos diante da ordem estabelecida. É essa falta de estabilidade que cria a ansiedade que leva alguém a um estado de ansiedade constante sobre “o que virá a seguir”. Isso pode manifestar-se como um senso geral de incerteza sobre o futuro, e como fobias específicas que os fazem temer voar, de viajar pelo mar, de viver em uma cidade, ou de comer em público.

Esse estado cognitivo de paranoia sobre a mudança também pode se manifestar como depressão grave. Em muitos casos, essa depressão é tão intensa que se torna uma condição conhecida como “transtorno de ansiedade”. Quando tais emoções extremas estão continuamente presentes, pode ser incrivelmente difícil trabalhar e funcionar normalmente em um ambiente social. O isolamento por medo da novidade cria um ambiente que exclui todos, menos o mais básico do contato com os outros. O resultado é que visões isolacionistas da vida são adotadas e se tornam a perspectiva mais dominante na vida da pessoa. Como resultado, a pessoa passa a se sentir como um alienígena em seu próprio corpo – mentalmente e emocionalmente.

Nos casos mais extremos, a pessoa fica tão isolada que se desprende do resto do mundo, optando por subsistar virtualmente em sua própria mente e mundo. Este é o mais traumático de todos os isolamentos por medo de novas variações. Nos casos mais extremos, a pessoa fica tão isolada que se desprende do resto do mundo, optando por subsistar virtualmente em sua mente e no mundo. Este é o mais traumático de todos os isolamentos por medo de novas variações.

O aspecto mais importante da recuperação é reconhecer que todos que experimentam transtorno de ansiedade, sejam novos ataques de pânico generalizados, transtorno de ansiedade, ou qualquer outra variação, tem um medo intenso do desconhecido. Esse medo intenso cria um senso de urgência que leva as pessoas a procurar e isolar-se do resto do mundo o mais rápido possível. Recuperação é sobre ganhar tempo para aprender a compartilhar os medos que nos impulsionam. Compartilhar e deixar de lado nossos medos cria cura em nossas vidas e em outras.