Caso H1N2 registrado na zona rural de Paraná

Caso H1N2 registrado no Paraná Rural

 

A maioria dos casos de Vírus do Papiloma Humano (HPV) tem sido relatada de pessoas que vivem em áreas remotas e montanhosas do país. Pesquisas mostram que a infecção pelo HPV é muito comum nesta parte do mundo. Os pesquisadores descobriram que quase 60% dos homens e mulheres sexualmente ativos que vivem nessas áreas do país são afetados pela infecção pelo HPV. Algumas das infecções pelo HPV não são tão graves quanto o câncer cervical, mas leva a problemas graves como verrugas genitais. Pode-se encontrar mais sobre a doença através de recursos ‘online’ ou livros.

Muitas pessoas podem não ser capazes de identificar os sintomas relacionados à infecção pelo HPV nos estágios iniciais. Há alguns sintomas do vírus papiloma humano no colo do útero, verrugas vaginais e ânus. O Vírus do Papiloma Humano (HPV) é causado por diferentes cepas do vírus, mas todos eles causam sintomas semelhantes aos descritos acima.

O caso H1N2 registrado na zona rural de Paraná é mais uma prova do aumento da presença da doença no país. Esta área tem sido regularmente atingida por tempestades severas por longos anos, que aumentam o risco de contaminação da água potável e contato humano casual. O vírus é altamente contagioso e pode ser transmitido através de fluidos corporais, incluindo lágrimas e suor.

O uso de agulhas não esterilizadas durante transfusões de sangue e injeções de drogas aumenta o risco de contrair o caso H1N2 registrado na zona rural de Paran. O uso de inseticidas após o transplante de feridas também aumenta o risco de infecção. O Vírus do Papiloma Humano é outra cepa do vírus que causa cânceres. O Instituto Médico Internacional para Doenças Tropicais descobriu que essa cepa do vírus é responsável por mais de 25% de todos os tumores malignos em todo o mundo. Há casos de piolhos na cabeça, verrugas torácicas, verrugas anais e outras malignidades cutâneas que são causadas por esta cepa em particular.

Como não pode ser visto a olho nu, o caso H1N2 registrado na zona rural de Paran é difícil de identificar. Os sintomas incluem febre, mal-estar, fraqueza generalizada, perda de apetite, vômitos e diarreia. Como o vírus não pode ser visto, é difícil diagnosticar porque os sintomas clínicos são semelhantes aos de outras doenças. A melhor maneira de identificar o H1N2 é realizar um exame neurológico, onde os testes para anticorpos contra o vírus são feitos.

Atualmente, ainda não está disponível um exame sorológico para o caso H1N2 registrado na zona rural de Paran. No entanto, essa situação está mudando rapidamente porque recentemente, um estudo clínico foi realizado na região e uma amostra de um morador local foi testada com sucesso positivamente para a infecção por H1N2. De fato, testes para outros vírus como Listeria e HIV-1 já são atividades rotineiras em áreas rurais. Espera-se que os testes de sorologia estejam disponíveis para outros vírus em breve.

Embora nenhum tratamento possa curar o H1N2, a medicação para gerenciar os sintomas está disponível para os pacientes. Isso pode ser através de drogas ou um creme que deve ser aplicado diretamente na pele. Quando o vírus entra no corpo através de picadas de insetos ou arranhões, medicamentos tópicos geralmente são suficientes para suprimir os efeitos do vírus. Quando o vírus entra nos pulmões através da tosse, então medicamentos inalados devem ser tomados. Em alguns casos, uma combinação de tratamentos pode ser necessária para alcançar a supressão completa do vírus.

O caso H1N2 registrado na zona rural de Paran só pode ser evitado se as precauções forem implementadas em estágio inicial. Por exemplo, lavar as mãos regulares é importante. A higiene pessoal também pode ser promovida praticando a barba cuidadosa e evitando o risco de compartilhar toalhas, lâminas de barbear e outros itens pessoais. As crianças também devem ser ensinadas bons hábitos de higiene pessoal, pois a exposição frequente à área pública e piscinas podem levar a um possível caso H1N2 registrado no Paraná. Por fim, deve-se fazer um exame manual regular para detectar qualquer sintoma do vírus.